Assinatura do autor
Depósitos
BRANDÃO, Raul, 1867-1930
BNP Esp. D2
[Memórias: apontamentos], de Raul Brandão, 1910-1911. BNP Esp. D2/703
[Memórias: apontamentos],
de Raul Brandão, 1910-1911.
BNP Esp. D2/703
Nefelibata pelo lado da sensibilidade e impressionista pelo lado do realismo crítico, Raul Germano Brandão foi mais um dos Portuenses ilustres de quem não chegou a falar Sampaio Bruno, que nas suas letras teria reconhecido a mesma fantasmagórica (des)ilusão do mundo e dos homens. Capitão do exército, o autor de Húmus e O Pobre de Pedir marcou a viragem das letras portuguesas do fim do século, redimindo o decadentismo simbolista através de uma singular prosa poética que prenuncia a escrita do movimento surrealista e a de certo memorialismo existencialista.

O espólio (17 cx.: 1161 docs.) guardado por Manuel Mendes, reflecte o modo de escrever de Raul Brandão, sempre atento à fortuita aparência das coisas. Conserva originais de obras póstumas, extensa correspondência, livros de notas, documentos biográficos, etc.

Foi depositado na BN em Março de 1982, por Bertha Mendes, viúva do escritor Manuel Mendes. Encontra-se actualmente em fase de transferência para a Sociedade Martins Sarmento, por decisão judicial, que determinou a sua entrega aos herdeiros de Raul Brandão, considerados legítimos proprietários do espólio. Microfilmado e parcialmente digitalizado (Iconografia).
Instrumento(s) de Pesquisa:
Inventário e Catálogo de exposição
© 2004 Biblioteca Nacional de Portugal. Actualizado a 15.05.2007