Colecções
ARQUIVO HISTÓRICO-SOCIAL [c. 1900-199?]
BNP Esp. N61
Porque devemos ser libertários, Grupo Libertário da Graça, 1932 BNP Esp. N61/cx. 92
Porque devemos ser libertários, Grupo Libertário da Graça, 1932
BNP Esp. N61/cx. 92

Colecção de memórias do que foi e, sobretudo, do que quis ser o Movimento Libertário em Portugal nos últimos cem anos, o A.H.S. ficou a dever-se à iniciativa e critério do Centro de Estudos Libertários que o reuniu e pré-organizou entre 1980 e 1987. Colecção de espólios de diversos militantes anarquistas e respectivas associações ou uniões, mais ou menos informais, bem como de associações operárias e sindicais cuja actividade mais se aproximou dos princípios organizativos e ideológicos do anarquismo, constitui uma inestimável fonte de informação sobre a história do movimento operário em Portugal na primeira metade do século XX.

O Arquivo (195 cx.) compreende três corpos principais: o que reúne espólios individuais de militantes anarquistas, o que agrupa documentos pertencentes a instituições operárias e o que resulta da própria actividade de recolha do Centro de Estudos Libertários. Cx. 55 e 55A microfilmadas: F 8338-8341.

Depositado na Biblioteca Nacional, pelo Centro de Estudos Libertários, em Abril de 1980. Em Julho de 1985 foi doado à BN, passando a integrar os fundos do ACPC. Foi posteriormente acrescido com as colecções Alberto Pedro da Silva, doada pela Srª. Drª. Maria Margarida Neves da Silva e Silva, em Junho de 1997, Mário Castelhano, doada pela Srª D. Ana Maria Gameiro Duarte Castelhano, em 1999, e pela colecção João Freire doada pelo próprio e entregue em 1999, 2001 e 2006.

Instrumento(s) de Pesquisa:
Guia preliminar
© 2004 Biblioteca Nacional de Portugal. Actualizado a 16.05.2007